A Famosa Trilha Inca para Machu Picchu de 4/D e 3/N

A Famosa Trilha Inca para Machu Picchu de 4/D e 3/N

Olá amigos leitores, hoje vamos falar da famosa Trilha Inca para Machupicchu em Cusco de 4 dias, que tem como destino final a Antígua cidade perdida do Incas. Não percam leiam mais no nosso blog abaixo:

Chegar ao Peru em Cuzco e conhecer o santuário arqueológico de Machu Picchu é uma experiência mística, esotérica e única em toda a vida, agora chegar até lá por meio da Trilha Inca original de 4 dias, será única, maravilhosa, mística, visitar que hoje é uma das 7 maravilhas do mundo. A Trilha Inca para Machu Picchu é sem dúvida alguma, uma do passeio, tours, excursões mais buscadas, pelas pessoas que buscam aventura no Peru.

 A Trilha inca hoje esta entro os 5 trek mais famosos do mundo, e é bem concorrida, você tem reservas 6 meses antes, se você que chegar a Machupicchu pela Trilha Inca clássica.Inca machupicchu, trilha inca,fazer trilha, trilha machupicchu. Ela foi construída pelos incas e foi a maneira de como os Incas chegam ala em Machupicchu faziam para chegar a Machupicchu e fazer a Trilha Inca é a melhor maneira de conhecer a magia e os mistérios, místicos Machu Picchu.

Qual melhor época para fazer a trilha Inca clássica?

A melhor época para fazer trilha é de abril a outubro, época mais seca, faz frio durante noite, mais normal trazendo roupa de frio sem problemas.

Qual diferencia da trilha clássica 4 dias e a Curta de 2 dias?

O trajeto da trilha Inca clássica é de 4 dias e 3 noites, começa no quilometro 88,onde o ônibus de deixa, vindo de Cusco, após uma viagem de 2 horas.  Agora a Trilha Inca de 2 dias e 1 noite tem início no km 104, chamada pelos arqueológicos, como a bela Wiñaywayna, cujo nome significa (sempre jovem)Este percurso tem 15 km e passa por ruinas Incas envoltas em espetaculares paisagens montanhas. Outra diferencia da trilha clássica e da trilha curta é que Além da distância percorrida e do nível de dificuldade a principal diferença é que na trilha curta não vê, não passa pelos sítios arqueológicos de Puyupatamarca, Sayacmarka e Runkurakay que são visíveis na trilha inca clássica. Além disso, na trilha inca curta não há acampamentos, porque você passa a noite em um hotel na vila de Machupicchu Pueblo(Aguas Calientes). Então você não precisa dormir em barracas de acampamento, ideal para que não goste acampar.

Abaixo é o roteiro dos lugares arqueológicos que se vê durante a trilha IncA: 4 dias e 2 dias:

1 dia: Cusco – Piscaycucho (Km 82) – Wayllabamba:

A trilha começa no 82KM, altitude de 2.500, na altura das ruinas de Qoriwayrachina, entrada, posto de controle, entregas os bilhetes de entrada.

Depois da entrada serão 9 km a serem percorridos em até o povoado de Wayllabamba (3000 acima do mnivel do mar), onde os grupos passam a noite acampados, nas ruínas de Qoriwayrachina

2 dia : Wayllabamba – Pacaymayo:

Considero o mais cansativo dia, por causa das subidas e descida, então subiremos ate o topo da montanha Warmiwañusca, e depois desceremos 700 metros até o valo do Rio Pacaymayu (3500 metros) , onde os grupos passam a noite acampados em Warmiwañusca lugar.

3 dia: Pacaymayo – Runcuracay – Sayacmarca – Puyupatamarka – Wiñaywayna.

No terceiro dia, caminharemos 17km até Wiñaywayna, mas esse dia é menos cansativo que o anterior e neste dia mesmo conhece-se 4 sítios arqueológicos muito importantes, em Wiñaywayna acamparemos.

Lugar arqueológico de Runkuraqay:

(Runkuraqay –que significa pilha de ruínas) está a 3.500m, acredita-se que o edifício tenha sido um tambo, um tipo de posto para os viajantes que seguiam a trilha até Machupicchu. Tinha áreas com dormitórios para os viajantes e instalações de estábulo para seus animais domesticados,.

Lugar arqueológico de Sayacmarka:

Esta a 3580m foi explorada pela segunda expedição de Bingham em 1915,e em 1941 uma expedição liderada por Paul Fejos explorou novamente o lugar e rebatizou-a como Sayaqmarka, por sua localização geográfica que domina visualmente todo o vale do rio urubamba. Dentro da cidadela existem diversas construções, forma da montanha, incluindo-se um aqueduto de pedra que uma vez levou água para o local. As paredes são sólidas e a forma da fortaleza pode ser vista facilmente de longe.

Lugar arqueológico de Puyupatamarka:

Esta a3685m e seu nome significa em quéchua(lugar sobre as nuvens) , e também foi descoberto por Bingham em 1915, mas igual como outro ,foi Paul Fejos quem em 1941 o rebatizou com o nome de Puyupatamarka, por este lugar, quase sempre esta com neblina e as nuvens que se formam nos vales ao redor. Destaca-se neste conjunto uma plataforma de forma quase ovalar e uma série de estruturas retangulares alinhadas ao longo de um dos lados com canais por onde ainda escorre a água a partir do nível mais alto. Para alguns arqueológicos acreditam que essas estruturas eram de banhos com alguma função ritual.

Lugar arqueológico de Wynaywayña:

Esta a 2645m foi revelada por Paul Fejos em 1941 e depois em 1942, o arqueólogo peruano Julio C. Tello rebatizou o lugar com o nome de Wiñaywayna (jovem para sempre) que também é o nome quéchua de uma espécie de orquídea, muito comum da área ,região. Encontram-se diversas construções bem trabalhadas, entre elas se destaca uma na parte superior conhecida como “torre” construída parcialmente com pedras trabalhadas; uma sucessão de 11 fontes rituais do lado direito e também o setor agrícola com grande quantidade de terraços artificiais. Outras construções na borda do precipício, com paredes de estilo pirka, de ai, tem uma vista maravilhosa da parte inferior das montanhas, e na direção ao noroeste, você chega ate o (Intipata-lugar do sol) que são terraços artificiais de uso Agrícola.

4 dia: Wiñaywayna – Intipunku – Machupicchu:

Wiñaywayna um caminho, trilha que esta talhada com maestria na montanha, e do lado está um profundo precipício, seguindo pela trilha larga dentro do bosque bem fresco . Chegando onde tem uns degraus que te levam até Intipunku (porta do sol) é feita de degraus, foi um portão de controle para as pessoas, é foi dedicado ao culto do Inti , o deus Sol, e de ai tem a incrível , visão da cidadela de Machupicchu, Montaña, Huayna Picchu.

Obrigado por ter lido este blog, esperamos que você tenha gostado e sempre possa compartilhar essas informações e você pode até mesmo seguir-nos no nosso Facebook para passeios a pé gratuitos em espanhol e você também pode perguntar mais sobre o camino Inkan na regiao de  Cusco.

Los comentarios están cerrados